Translate

Google+ Badge

segunda-feira, 23 de março de 2015

A separação influencia na vida escolar da criança?

Oi pessoal!

A cada dia que passa a família está se transformando, existem casos tão divergentes que infelizmente devemos olhar com naturalidade. A sociedade não expõe suas opiniões com medo de sofrerem opressões, mas infelizmente essa é a realidade, devemos ocultar e omitir para não ser condenados. Triste realidade dos dias atuais.

Uma das modificações é a separação que hoje está cada vez mais habitual, os casamentos não duram mais, as pessoas esquecem da mensagem de Deus para o mundo, “o que o Deus uniu o homem não separa”. Podem existir diversos motivos para haver a separação, mas as consequências que podem trazer a uma família, especificamente aos filhos podem ser traumatizantes.

Vamos entender o que a separação pode interferir na educação e no comportamento da criança e ver a melhor forma de explicar a ela essa decisão, acompanhe o post.

Diante da  separação dos seus pais, muitos filhos tornam-se rebeldes, malcriados ou deprimidos, e esta situação logo se refletirá de uma maneira negativa no seu desenvolvimento na escola, no seu contato com a família, e em sua convivência social, o que fará com que passem a buscar outras saídas não adequadas e benéficas para seus conflitos.

A separação atrapalha na escola?

Independente da faixa etária a criança necessita do apoio e estimulo dos pais para que possam se desenvolver de forma saudável na escola, A ausência de um ou de ambos pode afetar bastante. De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Glia avalia que filhos de pais separados têm 46% mais chances de ter baixo desempenho na escola e duas vezes mais probabilidade de desenvolver uma doença mental do que crianças com pai e mãe casados.

É importante lembrar que...

Nada é uma verdade absoluta, ou seja, crianças com famílias estruturadas também podem sofrer com dificuldades da escola.


Existe uma estreita relação entre lar e escola, por isso uma grande parte dos problemas educacionais infantis continua a ser originado no lar. O relacionamento entre pais e filhos e a harmonia do casal são elementos fundamentais para a obtenção de um bom desempenho escolar.

O que acontece no âmbito familiar da criança, interfere no seu emocional, podendo apresentar comportamentos prejudiciais no desempenho escolar, na separação pode ser amenizado, quando os pais mesmo que separados, dão atenção e participam da educação dos filhos, essa participação dos pais na aprendizagem é de suma importância, pois mostrar interesse, dedicação e se esforçar para acompanhar esse processo é valorizado pela criança.

De contra partida, existem casos dos filhos ficarem abandonados, sozinhos, sem orientação e cobrança adequada, pois os pais estão preocupados demais com a separação e com problemas individuais que esquecem dos filhos. O problema não seria a separação em si, mas como os pais deixam o fato influenciar a vida do filho, expondo-o as brigas constantes, fazendo dele um meio de comunicação entre os adultos, muitas vezes de forma manipulativa, ou privando-o de uma rotina organizada e assistida.

O papel do educador

Apesar da separação dos pais não levar, obrigatoriamente, ao mau desempenho escolar, muitos alunos enfrentam essa dificuldade em maior ou menor grau. Nessa situação, os professores muitas vezes são os primeiros a presenciar mudanças no comportamento desse aluno e cabe a eles identificar a fonte do problema e prestar ajuda, seja no âmbito escolar, seja ao fazer um alerta aos pais.

As crianças apresentam diversas características que devem ser observadas pelo professor como, alguns se mostram mais dispersos, apáticos, não demonstram interesse e envolvimento com as atividades, outros são hiperativos e agitados. A reação da criança deve ser informada aos pais, cada que juntos possam resolver essa situação.

A conversa com os pais deve abordar aspectos exclusivamente escolares, sem interferir na vida pessoal do aluno e de sua família.  O professor pode ajudar a família a se organizar melhor, mostrar para os pais quanto o filho está sofrendo, procurar alternativas e soluções, a coordenação deve explicar aos pais que a participação na vida escolar de seus filhos, desde que não invasiva e estimulando sua autonomia, pode influenciar de modo efetivo o desenvolvimento escolar. É necessária para filhos de pais casados, separados, órfãos de pai ou de mãe, ou seja toda criança necessita dessa participação.

É importante deixar claro para a criança o que está acontecendo, expor realmente a situação. Mostrar para a criança os benefícios que irá ter com isso, como por exemplo, terá duas casas para brincar, desta forma facilitará a aceitação. Não deve chantagear e subornar a criança, seja verdadeiro, afinal qualquer ação errada terá consequências no futuro.

Espero que tenham gostado.


Beijinhos*

Nenhum comentário:

Postar um comentário