Translate

Google+ Badge

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

As competências de acordo com Philippe Perrenoud

Olá pessoal!
Vamos refletir sobre a seguinte questão: Será que temos competência para ensinar? Philippe Perrenoud escreveu o livro “10 novas competências para ensinar”, com o objetivo de como nos tornarmos um professor com a prática educativa de qualidade e significativa para o aluno, a profissionalização docente contínua, um trabalho em equipe participativo, projetos significativos, desenvolver autonomia e responsabilidades crescentes e uma pedagogia diferenciada. A partir desses temas, vamos entender melhor as ideias de Perrenoud e como essas ideias são importantes para nossa formação.

Quem é Philippe Perrenoud?

Philippe Perrenoud é um sociólogo e antropólogo, tem 59 anos, atua nas áreas relacionadas à currículo, práticas pedagógicas e instituições de formação nas faculdades de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Genebra. Não é pedagogo por formação.



As competências citadas no livro são:

Organizar e dirigir situações de aprendizagem

  • O professor precisa conhecer os conteúdos a serem ensinados;
  • Trabalhar a partir das representações dos alunos;
  • Trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos à aprendizagem;
  • Construir e planejar dispositivos e sequências didáticas;
  • Envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento.


Administrar a progressão das aprendizagens

  • Conceber e administrar situações-problemas ajustadas ao nível e às possibilidades dos alunos;
  • Adquirir uma visão longitudinal dos objetivos do ensino;
  • Estabelecer laços com as teorias subjacentes às atividades de aprendizagem;
  • Observar e avaliar os alunos em situações de aprendizagem, de acordo com uma abordagem formativa;
  • Fazer balanços periódicos de competências e tomar decisões de progressão.


Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação

  • Administrar a heterogeneidade no âmbito de uma turma;
  • Abrir, ampliar a gestão de classe para um espaço mais vasto;
  • Fornecer apoio integrado, trabalhar com alunos portadores de grandes dificuldades;
  • Desenvolver a cooperação entre os alunos e certas formas simples de ensino mútuo
  • Uma dupla construção.


Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho

  • Suscitar o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, o sentido do trabalho escolar e desenvolver na criança a capacidade de auto avaliação;
  • Instituir um conselho de alunos e negociar com eles diversos tipos de regras e de contratos;
  • Oferecer atividades opcionais de formação;
  • Favorecer a definição de um projeto pessoal do aluno.


Trabalhar em equipe

  • Elaborar um projeto em equipe, representações comuns;
  • Dirigir um grupo de trabalho, conduzir reuniões;
  • Formar e renovar uma equipe pedagógica;
  • Enfrentar e analisar em conjunto situações complexas, práticas e problemas profissionais;
  • Administrar crises ou conflitos interpessoais.


Participar da administração da escola

  • Elaborar, negociar um projeto da instituição;
  • Administrar os recursos da escola;
  • Coordenar, dirigir uma escola com todos os seus parceiros;
  • Organizar e fazer evoluir, no âmbito da escola, a participação dos alunos;
  • Competências para trabalhar em ciclos de aprendizagem.


Informar e envolver os pais

  • Dirigir reuniões de informação e de debate;
  • Fazer entrevistas;
  • Envolver os pais na construção dos saberes.


Utilizar novas tecnologias

  • Utilizar editores de texto;
  • Explorar as potencialidades didáticas dos programas em relação aos objetivos do ensino;
  • Comunicar-se à distância por meio da telemática;
  • Utilizar as ferramentas multimídia no ensino;
  • Competências fundamentadas em uma cultura tecnológica.


Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão

  • Prevenir a violência na escola e fora dela;
  • Lutar contra os preconceitos e as discriminações sexuais, étnicas e sociais;
  • Participar da criação de regras de vida comum referentes à disciplina na escola, às sanções e à apreciação da conduta;
  • Analisar a relação pedagógica, a autoridade e a comunicação em aula;
  • Desenvolver o senso de responsabilidade, a solidariedade e o sentimento de justiça
  • Dilemas e competências.


Administrar sua própria formação continua

  • Saber explicitar as próprias práticas;
  • Estabelecer seu próprio balanço de competências e seu programa pessoal de formação continua;
  • Negociar um projeto de formação comum com os colegas (equipe, escola, rede);
  • Envolver-se em tarefas em escala de uma ordem de ensino ou do sistema educativo;
  • Acolher a formação dos colegas e participar dela.



Perrenoud acredita que o sucesso e o fracasso escolar não são dependências únicas do ambiente escolar. Na sua visão, o aprendizado deve ter como objetivo preparar os alunos para uma aprendizagem significativa e contínua, tornando capaz de lidar com questões dentro e fora da escola, tornando assim qualquer ambiente pedagógico, independentemente de quaisquer situações.

Essas competências visam práticas inovadoras, tem por objetivo orientar as formações iniciais e contínuas, contribuir para a luta contra o fracasso escolar e desenvolver cidadania com uma prática de pesquisa reflexiva.

Beijinho*

Nenhum comentário:

Postar um comentário